Item 14 - "A ARA e o Partido Revisionista. Edições Vanguarda", Edições Vanguarda, 1971

Zona de identificação

Código de referência

PT-AHS-ICS-CAHS-EE-CMLP/PCP (m-l)-14

Título

"A ARA e o Partido Revisionista. Edições Vanguarda", Edições Vanguarda, 1971

Data(s)

  • 1971-01 (Produção)

Nível de descrição

Item

Dimensão e suporte

1 doc. (brochura); papel

Zona do contexto

Nome do produtor

(1964-1971)

História administrativa

O Comité Marxista-Leninista Português e a Frente Acção Popular marcam o início das organizações maoístas e marxistas-leninistas em Portugal.
O CMLP surgiu logo após a criação da FAP que tivera lugar em Janeiro de 1964 em Paris na sequência da ruptura e expulsão de Francisco Martins Rodrigues do PCP. Complementarmente à frente unitária constituída na FAP, o CMLP pretendia ser o embrião de um futuro partido comunista reconstruído, editando o órgão “Revolução Popular”.
Em 1965 a FAP/CMLP é afectada por várias prisões, entre elas a de João Pulido Valente, decorrente de uma infiltração da PIDE. O agente da PIDE infiltrado, Mário Mateus, será executado em Novembro desse ano. Em 1966 Francisco Martins Rodrigues e Rui d’Espiney são presos e as vagas repressivas fragilizam a FAP/CMLP que tinha como organização de juventude a União dos Estudantes Comunistas Marxistas-Leninistas [UEC (m-l)].
A FAP acabará por ser extinta, mantendo-se em actividade apenas o CMLP que em 1970, no V Congresso (reconstitutivo) do partido comunista, se transforma em Partido Comunista de Portugal (marxista-leninista) [PCP (m-l)], embora apenas em 1971 o facto tenha sido tornado público. O PCP (m-l) desenvolverá importante actuação na emigração, nomeadamente em França.
Uma série de divergências internas levam a que o PCP (m-l) em 1974 se cinda em duas facções, “Mendes” e “Vilar”, que se constituem como partidos distintos reclamando-se do mesmo nome.

Nome do produtor

Entidade detentora

História do arquivo

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Produzido por Grupo de Base "A Vanguarda" do Comité Marxista-Leninista Português (C.M.L.P.).
O Grupo de Base Vanguarda era constituído por militantes que entraram em ruptura com a direcção do CMLP, de onde acabariam por ser expulsos. Se o grupo diz integrar o CMLP, este nega existir na organização qualquer grupo "A Vanguarda".
A Vanguarda viria a transformar-se em CPLAI (Comité Português de Luta Anti-Imperialista), em Novembro de 1970.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Zona de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Zona das notas

Identificador(es) alternativo(s)

Pontos de acesso

Pontos de acesso - Assuntos

Pontos de acesso - Locais

Pontos de acesso - Nomes

Pontos de acesso de género

Zona do controlo da descrição

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão, eliminação

Línguas e escritas

Script(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Géneros relacionados

Locais relacionados